Países Participantes
Moçambique
Moçambique

Mozambique-300x200.png

Nome Oficial: República de Moçambique

Área (km2): 799.380

População (milhões): 27,9 (censos 2021)

Capital: Maputo

Língua oficial: Português

Chefe de Estado: Filipe Nyusi

Primeiro-Ministro: Carlos Agostinho do Rosário

Moeda: Metical (MZN)

Taxa de Câmbio: CNY1 = 8.98 MZN、USD1 = 63.88 MZN (Janeiro, 2024)

Hora local: GMT+2


Mozambique-pic-1-e1586338477302-300x210-1.jpg


Mozambique-pic-2-e1586338496976-300x210-1.jpg


Moçambique situa-se no sudeste da África, junto do Oceano Índico, tem uma área total de 799,390 mil quilómetros quadrados e uma população de 31 milhões de habitantes.


Moçambique é um país rico em recursos e 51% são florestas, com uma área de cerca de 1,74 mil milhões de metros cúbicos. Os principais recursos minerais são carvão, ferro, bauxite, urânio, grafite, diamante, etc. As reservas de carvão são superiores a 10 mil milhões de toneladas, as de titânio superiores a 60 mil milhões e as reservas de tântalo ocupam o primeiro no mundo.


A economia moçambicana baseia-se na agricultura, incentiva-se o desenvolvimento industrial, incluindo a indústria transformadora e agroprocessamento. Com a fundação e entrada em funcionamento da Fábrica de Fundição de Alumínio Mozal e outras joint-ventures de grande dimensão em 2001, as exportações de Moçambique aumentaram significativamente e a indústria manufactureira tornou-se a principal indústria exportadora, substituindo a agricultura e pesca. Os principais produtos exportados são lingote de alumínio, energia eléctrica, camarão, açúcar, algodão, etc., enquanto os principais produtos importados são alimento, matérias-primas, petróleo, maquinaria, peças, etc.


Desde o estabelecimento das relações diplomáticas com a China em 1975, a China tem prestado apoio em diversas áreas.


A informação estatística disponível para o período de 2018 a 2022 indica que a China ocupa, actualmente, o 2º lugar dos países investidores em Moçambique, com um investimento global na ordem de 1.082 milhões de USD, sendo 73,85% do sector da Indústria, 7,40% na Construção Civil e 6,45% no sector de serviços.


No período 2007 a 2009 foram financiados projectos públicos, tais como: ampliação e modernização do Aeroporto Internacional de Maputo, construção de dois edifícios da Procuradoria-Geral da República, aquisição de equipamento e maquinaria do Vale do Zambeze, construção do Edifício do Conselho de Ministros, cobertura das Sedes Distritais pela rede de telefonia fixa, ensino à distância, bem como, construção do Complexo de Processamento de Produtos Agrícolas de Chokwé. Actualmente ainda existem projectos em curso na área de infra-estruturas.