Países Participantes
Angola
Angola

angola-Eng-e1413969498803.png

Nome Oficial: República de Angola

Área (km2): 1.246.700

População (milhões): 34,5 (2021)

Capital: Luanda

Língua oficial: Português

Chefe de Estado: João Manuel Gonçalves Lourenço

Ministro do Comércio: Victor Francisco dos Santos Fernandes

Moeda: Kuanza (AOA)

Taxa de Câmbio: CNY1 = 118.44 AOA、USD1 = 842.51 AOA (Janeiro, 2024)

Hora local: GMT+1

01.jpg

Vista noturna da Baia de Luanda

Angola situa-se na região ocidental da África Austral, banhada a oeste pelo Oceano Atlântico com uma área de 1.246.700 quilómetros quadrados, sendo o 7º maior país em extensão de África, e uma população estimada em 33,08 milhões de pessoas (2022), gente humilde e trabalhadora.


Angola é rica em petróleo, gás natural e recursos minerais. De acordo com a prospecção efectuada, tem mais de 7,783 mil milhões de barris de petróleo explorável e a reserva de gás natural é de 12,11 biliões de pés cúbicos em 2021. Os principais recursos minerais são diamante, ferro, fosfato, cobre, manganésio, chumbo, estanho, zinco, tungsténio, ouro, quartzo, mármore e granito. Em 2021, a produção de diamantes foi de 87 milhões de quilates. Relativamente às florestas, tem uma área total de 66 milhões de hectares (2020), com madeiras preciosas tais como o ébano, sândalo branco da África e jacarandá.


A exploração de petróleo e diamante é a indústria pilar da economia de Angola. As receitas de petróleo em 2020 ocuparam cerca de 24% do PIB. A produção de petróleo bruto de todo o ano foi de 465 milhões de barris, enquanto que, a produção diária de 1,16 milhões de barris, tornando-se um dos maiores produtores de petróleo em África.


A República Popular da China e Angola estabeleceram relações diplomáticas em 1983. Em 2022, o volume das trocas comerciais bilaterais atingiu 27,34 mil milhões de dólares americanos, um crescimento homólogo de 16,3%. As importações da China de Angola somaram de 23,25 mil milhões de dólares americanos, enquanto as exportações da China para Angola foram de 4,09 mil milhões de dólares americanos. Ao longo dos anos, Angola tem sido o maior parceiro comercial da China em África. A China importa principalmente de Angola o petróleo e exporta produtos eletromecânicos, materiais de construção, têxteis leves, viaturas, etc.


A extensão do território de Angola e a existência de condições edafoclimáticas favoráveis, representam um potencial extraordinário para a actividade agropecuária. É neste contexto que o Governo de Angola elaborou o Plano Nacional de Fomento da Produção de Grãos (PLANAGRÃO) para o aumento da produção e produtividade do trigo, arroz, soja e milho, no curto e médio-prazo (2022 a 2027). Também neste período pretende-se fomentar a produção de pescados e da proteína animal através do PLANAPESCAS e PLANAPECUARIA, respectivamente. 


Para esta empreitada, as empresas chinesas são chamadas a participar com know-how, tecnologia e insumos através de parcerias com reciprocidades de vantagens.